Quem sou eu

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O QUE TU TENS NÃO É TEU

“Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.” João 4:16-18

A história da mulher samaritana é cheia de ensinos preciosos para nossas vidas, a começar pela sede que ela manifesta de buscar as águas profundas de Deus, de querer receber de Jesus a água viva para saciar sua sede.
De fato, através de Jesus, essa mulher recebe os mais preciosos valores da vida: amor, atenção, compaixão, graça, perdão, salvação e alegria de viver. A samaritana sai desse encontro completamente realizada, feliz e dignificada.
Para ser liberta de todos os fantasmas do seu passado, ela é confrontada a  arrepender-se, refletir e mudar  certos comportamentos que são incompatíveis àqueles que querem andar com Jesus e serem salvos.
A pergunta de Jesus, a faz refletir sobre o pecado que cometia. Mas isso não a deixa arrasada, não obstante saber das implicações inerentes a tão grave transgressão. A pergunta é direta e confrontadora: Disse-lhe Jesus: “Vai, chama teu marido e vem cá.” Com essa pergunta Jesus passa a experimentar o caráter dessa mulher. Ela respondeu: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.
O confronto nas palavras de Jesus sobre a conduta da mulher é resultado do conhecimento que ele tinha sobre ela:  havia algo errado que precisava ser consertado; o que ela tinha não lhe pertencia.
O que ela tinha que não lhe pertencia? Um homem, esposo de outra mulher. Não poderia chamá-lo de seu marido, pois o havia conquistado através do adultério, portanto de modo ilícito, reprovável diante de Deus.
Creio que esse é um grave pecado que muitos têm cometido, hoje em dia.     Estão na posse de algo que não lhes pertence, e precisam devolver ao dono para que encontrem o perdão e a salvação para suas almas.
O QUE TEMOS QUE NÃO NOS PERTENCEM?
Tudo  que nos é confiado por pouco tempo, emprestado, ou mesmo  daquilo  que nos apropriamos sem a devida permissão, devem ser devolvidos. Por exemplo:
Dons e ministérios. Eles nos foram dados por Deus para o benefício da obra dele na terra, para o engrandecimento de seu reino, e um dia, Ele mesmo nos exigirá devolução com mais valorização, com a devida multiplicação. Mt 25:14-31
Os filhos. São tesouros de Deus que nos foram presenteados, para tratarmos bem, educando, formando dentro dos princípios da Palavra. Um dia teremos que prestarmos contas deles perante Deus.
O cônjuge. Muitos relacionamentos não têm a bênção de Deus, pois começou de modo ilícito. Usando o mesmo principio diabólico da mulher samaritana, muitas pessoas usam destes ardis para conquistar aquele ou aquela que já estão na posse de outro. Esse tipo de atitude gera brigas, separações e muita mágoa que destrói a família, produzindo na vitima traumas terríveis, por lhe terem roubado a pessoa amada. “e esse que agora tens não é teu marido;
Membros da igreja. São muitos os líderes que gostam de assediar, aliciar e roubar membros de outra igreja, (possuem o espírito de Absalão). Membros que estão na responsabilidade espiritual de outro colega. Com vários ardis convence-os a mudar de igreja, e depois ainda se vangloriam dizendo que sua igreja está crescendo e aumentando em membresia. De fato, mas, o aumento maior é do pecado  gerado nos corações por essa atitude. “o que tu tens não é teu”. Esses líderes certamente pagarão no juízo pelas almas que roubaram, e pela traição ao seu colega.
” Maldito aquele que mudar os marcos do seu próximo. E todo o povo dirá: Amém!” Deuteronômio 27:17
Objetos ou dinheiro emprestados e nunca devolvidos ou restituídos. Certa feita, um irmão emprestou um livro cujo título era: “nunca mais serás o mesmo” . Depois de mais de ano o livro foi devolvido. Quando o dono olhou para livro  exclamou: “ com certeza, nunca mais serás o mesmo”. O livro estava todo danificado.
“ O ladrão diz: isso é meu!!! Roubando do dono o que com sacrifício adquiriu.
Ladrões da inocência. São os pedófilos, que roubam das crianças a pureza e simplicidade. Produzindo marcas profundas no futuro delas. São pais ou responsáveis negligentes que negam aos pequeninos o direito de gozarem a infância com saúde, alegria e pureza, expondo-os a trabalhos  adultos ou usando-os no tráfico de drogas, em assaltos, na exploração física e emocional de seus corpos, corrompendo suas mentes, expondo-os ao sofrimento e às barbáries deste mundo cão.
Ladrões dos sentimentos. São aqueles que brincam com sentimentos dos outros. Com palavras mentirosas fazem vítimas justamente aqueles que esperam receber, amor, carinho e compreensão. Aqui também se encontram aqueles que  usam de auto comiseração para prender pessoas a si, para ganharem o centro das atenções.
Ladrões de almas. Nesse grupo estão os políticos que com sua retórica messiânica prometem o que não podem cumprir, mantendo o povo na escravidão da manipulação social. Estão também muitos religiosos que sentem-se dono da conduta de seus membros, obrigando-os a fazerem coisas contrário ao que a Palavra de Deus ensina, trazendo-os cativos com sua palavra bajuladora ou autoritária.
Os Corruptos. Apropriam-se indevidamente dos bens coletivos, dos bens públicos para ganhos próprios. Juntam riquezas roubando o suor dos trabalhadores honestos, retendo aquilo que seria  ganho comum , trazem miséria e sofrimento à população.
Aqueles que não devolvem o dízimo ao Senhor. Sabemos que de tudo que ganhamos, de toda a renda que temos e não apenas o valor do salário registrado em carteira ou em contrato, apenas 90% é nosso. O Senhor exige de cada cristão apenas 10%( o dízimo). Muitos têm roubado a Deus, sendo infiéis, usam a parte do Senhor e deixam a obra em apuros. “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais, vós a nação toda”. Malaquias 3:8-9
Creio que lugar teríamos para que essa lista do “o que tens não é teu” fosse ampliada. Infelizmente, o segundo grande mandamento, pouco tem sido observado, até mesmo por aqueles que se dizem cristãos: Amar o próximo como a si mesmo ( Rm 13:9).
A mulher samaritana nos ensina a reconhecer nosso pecado, nossa falha, arrepender-nos e seguir uma vida triunfante e transformada como foi a dela, a partir do momento que teve o seu encontro pessoal com Jesus. Mais que uma nova vida, ela pode ganhar o poder de ser usada pelo Senhor em verdade, livre de toda mentira, anunciar o autor da verdade.
Uma única decisão: ser verdadeira diante de Deus, devolvendo o que não era seu e recebendo do Senhor, tudo que era dela, Nele.
Pr Francisco Nascimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário